Flash de Notcias

Casino do Luso em Obras.

Recuperação em curso da dignidade perdida.

 

Subscrever Newsletter

Newsletter ADELB:







powered_by.png, 1 kB

Sede
Praticamente desde a sua constituição, por escritura pública de 13 de Dezembro de 2002, a ADELB tem lutado continuamente contra os incontáveis inconvenientes de não possuir um local onde possa instalar a sua sede, onde possa reunir e manter uma estrutura administrativa e onde possa receber condignamente os seus associados e visitantes.

A ADELB, como qualquer outra pessoa colectiva, não tem existência física (apenas legal), pelo que precisa que existam pessoas de carne e osso que a representem e ajam em seu nome. Essas pessoas formam uma comunidade que precisa de instalações para servirem de suporte ás iniciativas, aos trabalhos, aos impulsos que os representantes da pessoa colectiva precisarem de dar com vista à realização dos fins a que esta se propõe e para ali guardarem o acervo dessa história. Na falta dessa base operacional, a pessoa colectiva só muito dificilmente conseguirá sobreviver a médio ou longo prazo e tenderá a tornar-se ineficiente e incapaz de realizar-se autonomamente. Contra a inevitabilidade deste destino apenas restará a vontade e persistência dos seus representantes.

Para conseguir esse local que servirá de sede da ADELB já foram encetadas, até agora sempre infrutiferamente por diversas razões, inúmeras tentativas, designadamente:

- Depois de vários contactos informais com responsáveis locais, em 22 de Julho de 2003 (oficio n.º 36) a ADELB contactou o INATEL solicitando autorização para utilizar temporariamente uma parte do imóvel do antigo Hotel Serra, chamando a atenção para o perigoso abandono a que aquele prédio tem estado votado; Em 5 de Dezembro desse ano, amavelmente, o INATEL recusou a concessão desse espaço alegando falta de condições do edifício; Contactada a Junta de Freguesia de Luso, N/Ofícios nºs 1, 25, de 2004., não houve qualquer resposta ou apresentação de uma alternativa de solução;

- Novamente junto do INATEL - Hotel Serra -, quer via formal, N/Ofícios nºs 32, 32-A,de 2004, quer via pessoal, embora sem resultados face à informação de previsão de outro destino a dar ao Hotel Serra pelo INATEL, o que impediu também a ADELB de, simultaneamente, zelar por ser dada uma maior dignificação ao edifício em causa;

 

 

“Hotel Serra”

 

- Junto do Núcleo Florestal do Centro Litoral, N/Ofício nº 2, de 2005, com vista à cedência da Casa da Guarda situada junto às Portas da Rainha, a qual foi negada por alegada falta de condições do imóvel;

 

 

 

"Casa da Guarda” 

 

 

 

 

 

- Junto dos responsáveis da REFER-CP, N/Ofícios nºs 6, 11, 22 de 2005, com vista à cedência de algumas divisões no edifício da Estação de Caminho de Ferro de Luso, tendo sido desencadeadas uma série de reuniões, propostas e contra-propostas que terminaram sem surtir qualquer efeito, apesar da excelente receptividade dos responsáveis do Eixo da Beira Alta sedeados na Estação Velha de Coimbra, e face ao facto da administração central da CP solicitar uma renda anual que correspondia à quotização anual da ADELB, o que obviamente foi totalmente inaceitável até porque a presença da associação ajudaria à preservação do mesmo edifício;

  “Estação da CP”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Face a diligências já desenvolvidas em 2006, conta a ADELB que no futuro próximo estejam reunidas condições para ser comunicada aos sócios uma solução efectiva e garantida para o assunto em exposição.

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
(C) 2017 ADELB